31 de março de 2016

VERSÍCULOS DO DIA


Resultado de imagem para “Ponde pois Estas Minhas Palavras no Vosso Coração”
Eis que dias vêm, diz o Senhor, em que farei uma aliança nova com a casa de Israel e com a casa de Judá.

1 Coríntios 11:25.Que Deus abençoe a todos pastor Antonio Marques

ANDANDO NA VERDADE

Resultado de imagem para bíblia evangélica
Isaías: Profeta da Salvação

Isaías é o primeiro de 17 livros do Antigo Testamento identificados como livros de profecia, normalmente divididos em duas partes: 5 profetas maiores e 12 profetas menores. A função dos profetas foi transmitir a palavra de Deus. Às vezes, suas mensagens serviam para anunciar de antemão os planos de Deus, mas seu trabalho principal foi a entrega da palavra de Deus aos seus próprios contemporâneos. Isaías ilustra bem estes dois aspectos do trabalho profético, pois sua mensagem se aplicou principalmente aos ouvintes originais nos séculos VIII e VII a.C., mas alguns trechos olham para os planos de Deus de oferecer a salvação por meio de Jesus Cristo e unir seu povo sob a liderança deste Servo fiel.
Isaías andava livremente entre os nobres de Jerusalém durante os reinados de Uzias, Jotão, Acaz e Ezequias (Isaías 1:1). No seu contexto histórico, os povos de Israel (o reino do norte) e Judá (o reino do sul) viviam preocupados com a ameaça assíria. Os assírios destruíram a capital de Israel em 722/721 a.C. e, nos anos seguintes, destruíram várias cidades de Judá e chegaram a cercar Jerusalém. Enquanto a tendência humana é de atribuir conflitos deste tipo a problemas políticos, a mensagem deste profeta foi clara. Judá sofria porque vivia em rebeldia contra Deus: “Por que haveis de ainda ser feridos, visto que continuais em rebeldia? Toda a cabeça está doente, e todo o coração, enfermo”(Isaías 1:5).
Em contraste com a impotência e a impureza de Judá, Isaías destaca as características de Deus. Mais de 60 vezes, Deus é chamado de“SENHOR dos Exércitos”, uma expressão que enfatiza a sua onipotência e capacidade de defender os fiéis e castigar os ímpios: “Assim diz o SENHOR, Rei de Israel, seu Redentor, o SENHOR dos Exércitos: Eu sou o primeiro e eu sou o último, e além de mim não há Deus”(Isaías 44:6). “Santo de Israel”, um termo usado mais em Isaías do que em todos os outros livros da Bíblia, frisa sua separação absoluta do pecado: “Exulta e jubila, ó habitante de Sião, porque grande é o Santo de Israel no meio de ti” (Isaías 12:6).
Na leitura de Isaías, observamos duas divisões principais. Os primeiros 39 capítulos tratam principalmente da circunstância do povo naquela época do Antigo Testamento, e os últimos 27 capítulos apontam para o Servo Sofredor e a salvação que viria por meio do Messias. Nestes capítulos, o Senhor revelou aspectos importantes do seu plano, incluindo o sacrifício de Jesus pelos nossos pecados e a vinda do Reino de Cristo, profecias cumpridas no Novo Testamento. Observemos os assuntos tratados nos capítulos de Isaías:
Capítulos 1 a 12 contêm várias profecias sobre o povo de Judá e sua cidade principal, Jerusalém.
Capítulos 13 a 24 falam de castigo divino de nações pagãs.
Capítulos 25 a 27 asseguram os fiéis da proteção divina.
Capítulos 28 a 35 chamam o povo a confiar em Deus e não nas alianças com outras nações.
Capítulos 36 a 39 narram alguns fatos do reinado de Ezequias e o livramento de Jerusalém quando o povo foi ameaçado pelos assírios.
Capítulos 40 a 66 falam sobre o Servo do Senhor e seu Reino. Estes capítulos incluem algumas das mais ricas profecias messiânicas do Antigo Testamento, e são citados frequentemente no Novo Testamento.
Por causa da riqueza da sua mensagem sobre a salvação que Deus preparava para aqueles que chegariam a confiar plenamente nele, o livro deIsaías tem sido descrito como o evangelho do Antigo Testamento. É um livro que merece nosso estudo cuidadoso!
(–por Dennis Allan).Que Deus abençoe a todos pastor Antonio Marques

MEDITAÇÃO DO DIA

Resultado de imagem para “Ponde pois Estas Minhas Palavras no Vosso Coração”
31 de março Dia 91 

Leituras: Mateus 25:31-46; Romanos 5:12-21; Salmo 79; Provérbios 19:18-23; Deuteronômio 10-11.  

Versículo Especial: Ouve o conselho e recebe a instrução, para que sejas sábio nos teus dias por vir” (Provérbios 19:20).  

Pensamento Bíblico“Ponde pois Estas Minhas Palavras no Vosso Coração” (Deuteronômio 11:18-21). Um dos benefícios do estudo habitual da Bíblia  é que nossas mentes ficam repletas de bons pensamentos. Se dedicarmos algum tempo, de manhã cedo, ao nosso estudo, teremos então um assunto especial para a nossa meditação durante o dia todo. As coisas que examinarmos de manhã nos ajudarão na prática do domínio de nós mesmos durante todo o dia, enquanto nos aplicamos em glorificar a Deus. O costume habitual de ouvir a palavra de Deus nos ajudará a edificar uma relação mais íntima com ele. Além disso, chegamos a apreciar o amor que Deus tem mostrado para conosco.

Ação: Estude e medite hoje sobre a palavra de Deus. Que Deus abençoe a todos pastor Antonio Marques 

30 de março de 2016

VERSÍCULOS DO DIA

MEDITAÇÃO DO DIA

Resultado de imagem para O Amor de Deus Mostrado
30 de março Dia 90 

Leituras: Mateus 25:14-30; Romanos 5:1-11; Salmo 78:52-72; Provérbios 19:12-17; Deuteronômio 7-9.  

Versículo Especial: “Mas Deus prova o seu próprio amor para conosco pelo fato de ter Cristo morrido por nós, sendo nós ainda pecadores” (Romanos 5:8).  

Pensamento Bíblico: O Amor de Deus Mostrado (Romanos 5:1-11). Jesus morreu por nós “sendo nós ainda pecadores.”  Ainda que o tivéssemos desprezado, pelo nosso pecado, Jesus, de boa vontade, suportou a pena da nossa perversidade. Quando examinamos a profundidade desse amor, podemos perceber melhor que ele continua a nos oferecer força para triunfar sobre o pecado. Deus quer que vamos para o céu, e ele tem feito tudo para nos ajudar a conseguir isso. Não há razão para fracassarmos!  

Ação: Agradeça a Deus pelo seu amor e perdão. Viva hoje de um modo que o glorificará.Que Deus abençoe a todos pastor Antonio Marques

ANDANDO NA VERDADE

Resultado de imagem para bíblia evangélica
Cântico dos Cânticos: O Prazer do Casamento

O livro de Cântico dos Cânticos foi escrito por ou sobre Salomão, rei de Israel (Cânticos dos Cânticos 1:1). É o único livro na Bíblia que trata principalmente do amor de homem e mulher e do prazer sexual de uma forma poética e expressiva.
Durante séculos, este livro tem apresentado um grande desafio para intérpretes das Escrituras. Interpretações alegóricas ganharam o favor de estudiosos judeus e cristãos. Uma forte tendência judaica é tratar o livro como simbólico do amor de Deus para com seu povo de Israel. Desde o terceiro século d.C., muitos estudiosos cristãos adotaram uma abordagem parecida, achando no livro uma alegoria profética de Cristo e a igreja. Com certeza, diversos trechos bíblicos empregam a figura do casamento para descrever a relação do Senhor com seu povo, seja Israel no Antigo Testamento (Jeremias 2:1-3; Ezequiel capítulos 16 e 23 e Oseias capítulos 1 a 3) ou a igreja no Novo Testamento (Efésios 5:22-33; Apocalipse 19:7-8). Outras interpretações sugerem uma história de dois homens tentando conquistar o coração da mesma mulher, esta lutando para escolher entre os rivais.
Mas a interpretação mais natural e coerente oferece uma perspectiva importante do plano de Deus para o casamento. Sugiro que leia o livro pensando na noite de núpcias de um rei (Salomão) e sua noiva (uma moça de origens humildes escolhida pelo rei de Israel). Nesta leitura, não deve injetar nada de imoralidade ou indecência, nem o envolvimento posterior de Salomão com tantas outras mulheres. Olhe para este relato como se fosse o início do primeiro casamento e aquele que deveria ter sido o único. Depois de esperar durante o tempo do noivado e passado pela festa do casamento, agora os noivos se encontram a sós. Os dois pensam sobre tudo que passaram para chegar a este momento. Ela foi uma moça simples, uma jardineira protegida pelos irmãos, e ele, um rei rico que percebeu sua extraordinária beleza e a escolheu para ser sua esposa. Mas este livro não se trata de paixão desenfreada. Até aquele momento especial da noite de núpcias, ela foi um jardim fechado, uma fonte selada (Cântico dos Cânticos 4:12). No plano de Deus, o prazer sexual tem um lugar especial e privilegiado no casamento. Qualquer relação sexual antes ou fora do casamento desrespeita este princípio e estraga a beleza desta intimidade (veja Hebreus 13:4).
O sexo não é visto na Bíblia como algo sujo que é permitido ou tolerado no casamento; é uma relação especial, intima e linda protegida pela vontade de Deus no casamento. O jardim, a moça que se preservou para este momento, se torna o jardim do marido. Observe a mudança na linguagem dela: “Levanta-te, vento norte, e vem tu, vento sul; assopra no meu jardim, para que se derramem os seus aromas. Ah! Venha o meu amado para o seu jardim e coma os seus frutos excelentes” (Cântico dos Cânticos 4:16). No próximo versículo, depois de aceitar este convite da sua esposa, o marido fala: “Já entrei no meu jardim, minha irmã, noiva minha; colhi a minha mirra com a especiaria, comi o meu favo com o mel, bebi o meu vinho com o leite” (Cântico dos Cânticos 5:1). Há muito mais neste livro, inclusive dificuldades no casamento e a busca de reconciliação, mas uma das mensagens mais importantes para os nossos dias é uma perspectiva saudável da relação conjugal. Desde o jardim do Éden, Deus ordenou uma relação íntima e prazerosa entre marido e mulher. “Por isso, deixa o homem pai e mãe e se une à sua mulher, tornando-se os dois uma só carne. Ora, um e outro, o homem e sua mulher, estavam nus e não se envergonhavam” (Gênesis 2:24-25). No Novo Testamento, ele ensinou: “O marido conceda à esposa o que lhe é devido, e também, semelhantemente, a esposa, ao seu marido. A mulher não tem poder sobre o seu próprio corpo, e sim o marido; e também, semelhantemente, o marido não tem poder sobre o seu próprio corpo, e sim a mulher” (1 Coríntios 7:3-4). Como disse a esposa de Salomão: “Eu sou do meu amado, e o meu amado é meu” (Cântico dos Cânticos 6:3).
Cântico dos Cânticos nos lembra que o amor sexual é bom e lindo quando protegido no casamento como Deus o criou. Não estraguemos esta bênção de Deus na perversidade e sensualidade que dominam as vidas de muitas pessoas hoje!
(–por Dennis Allan) Que Deus abençoe a todos pastor Antonio Marques

29 de março de 2016

VERSÍCULOS DO DIA

MEDITAÇÃO DO DIA

Resultado de imagem para inculcaras aos teus filhos
29 de março Dia 89

Leituras: Mateus 25:1-13; Romanos 4:13-25; Salmo 78:23-51; Provérbios 19:6-11; Deuteronômio 5-6.  

Versículo Especial: “Estas palavras que, hoje, te ordeno estarão no teu coração” (Deuteronômio 6:6).  

Pensamento Bíblico“Tu as Inculcarás a Teus Filhos” (Deuteronômio 6:7). Nos dias finais, antes de sua morte, Moisés relembrou a história da viagem de Israel pelo deserto. Ele lembrou-os de que Deus lhes havia dado uma lei que eles tinham que obedecer. Ele, então, ressaltou a importância de conhecer os mandamentos de Deus, ensinando-os a seus filhos. Depois daqueles tempos, Deus mudou a lei (Hebreus 7:12), mas não diminuiu o valor da alma de uma criança.  

Ação: Pais, ensinem hoje seus filhos sobre o Senhor..Que Deus abençoe a todos pastor Antonio Marques

ANDANDO NA VERDADE

Resultado de imagem para bíblia evangélica
Isaías: Profeta da Salvação

Isaías é o primeiro de 17 livros do Antigo Testamento identificados como livros de profecia, normalmente divididos em duas partes: 5 profetas maiores e 12 profetas menores. A função dos profetas foi transmitir a palavra de Deus. Às vezes, suas mensagens serviam para anunciar de antemão os planos de Deus, mas seu trabalho principal foi a entrega da palavra de Deus aos seus próprios contemporâneos. Isaías ilustra bem estes dois aspectos do trabalho profético, pois sua mensagem se aplicou principalmente aos ouvintes originais nos séculos VIII e VII a.C., mas alguns trechos olham para os planos de Deus de oferecer a salvação por meio de Jesus Cristo e unir seu povo sob a liderança deste Servo fiel.
Isaías andava livremente entre os nobres de Jerusalém durante os reinados de Uzias, Jotão, Acaz e Ezequias (Isaías 1:1). No seu contexto histórico, os povos de Israel (o reino do norte) e Judá (o reino do sul) viviam preocupados com a ameaça assíria. Os assírios destruíram a capital de Israel em 722/721 a.C. e, nos anos seguintes, destruíram várias cidades de Judá e chegaram a cercar Jerusalém. Enquanto a tendência humana é de atribuir conflitos deste tipo a problemas políticos, a mensagem deste profeta foi clara. Judá sofria porque vivia em rebeldia contra Deus: “Por que haveis de ainda ser feridos, visto que continuais em rebeldia? Toda a cabeça está doente, e todo o coração, enfermo”(Isaías 1:5).
Em contraste com a impotência e a impureza de Judá, Isaías destaca as características de Deus. Mais de 60 vezes, Deus é chamado de“SENHOR dos Exércitos”, uma expressão que enfatiza a sua onipotência e capacidade de defender os fiéis e castigar os ímpios: “Assim diz o SENHOR, Rei de Israel, seu Redentor, o SENHOR dos Exércitos: Eu sou o primeiro e eu sou o último, e além de mim não há Deus”(Isaías 44:6). “Santo de Israel”, um termo usado mais em Isaías do que em todos os outros livros da Bíblia, frisa sua separação absoluta do pecado: “Exulta e jubila, ó habitante de Sião, porque grande é o Santo de Israel no meio de ti” (Isaías 12:6).
Na leitura de Isaías, observamos duas divisões principais. Os primeiros 39 capítulos tratam principalmente da circunstância do povo naquela época do Antigo Testamento, e os últimos 27 capítulos apontam para o Servo Sofredor e a salvação que viria por meio do Messias. Nestes capítulos, o Senhor revelou aspectos importantes do seu plano, incluindo o sacrifício de Jesus pelos nossos pecados e a vinda do Reino de Cristo, profecias cumpridas no Novo Testamento. Observemos os assuntos tratados nos capítulos de Isaías:
Capítulos 1 a 12 contêm várias profecias sobre o povo de Judá e sua cidade principal, Jerusalém.
Capítulos 13 a 24 falam de castigo divino de nações pagãs.
Capítulos 25 a 27 asseguram os fiéis da proteção divina.
Capítulos 28 a 35 chamam o povo a confiar em Deus e não nas alianças com outras nações.
Capítulos 36 a 39 narram alguns fatos do reinado de Ezequias e o livramento de Jerusalém quando o povo foi ameaçado pelos assírios.
Capítulos 40 a 66 falam sobre o Servo do Senhor e seu Reino. Estes capítulos incluem algumas das mais ricas profecias messiânicas do Antigo Testamento, e são citados frequentemente no Novo Testamento.
Por causa da riqueza da sua mensagem sobre a salvação que Deus preparava para aqueles que chegariam a confiar plenamente nele, o livro deIsaías tem sido descrito como o evangelho do Antigo Testamento. É um livro que merece nosso estudo cuidadoso!
(–por Dennis Allan).Que Deus abençoe a todos pastor Antonio Marques

28 de março de 2016

VERSÍCULOS DO DIA


Resultado de imagem para bíblia evangélica
Todos esperam de ti, que lhes dês o seu sustento em tempo oportuno.
Dando-lho tu, eles o recolhem; abres a tua mão, e se enchem de bens.

Mateus 6:11.Que Deus abençoe a todos pastor Antonio Marques

MEDITAÇÃO DO DIA

Resultado de imagem para bíblia evangélica
28 de março Dia 88  

Leituras: Mateus 24:45-51; Romanos 4:1-12; Salmo 78:1-22; Provérbios 19:1-5; Deuteronômio 4.  

Versículo Especial: “A falsa testemunha não fica impune, e o que profere mentiras não escapa” (Provérbios 19:5).  

Pensamento Bíblico: Pronto Para a Volta do Senhor (Mateus 24:45-51). Somos todos responsáveis perante Deus e podemos ser chamados a qualquer momento para responder pelos nossos atos. Entretanto, é comum viver como se tivéssemos tempo infindável para nos preparamos para o julgamento. Muitos atrasam a obediência, persistindo no pecado, com a idéia sem fundamento de que terão tempo para se arrependerem... algum dia. A única garantia que temos para o futuro é que encontraremos o Senhor, no julgamento. Você está pronto?  

Ação: Viva, hoje, de modo que você esteja preparado para se encontrar com Deus. Nós não receberemos aviso prévio da hora desse encontro!

ANDANDO NA VERDADE

Resultado de imagem para bíblia evangélica

Cântico dos Cânticos: O Prazer do Casamento

O livro de Cântico dos Cânticos foi escrito por ou sobre Salomão, rei de Israel (Cânticos dos Cânticos 1:1). É o único livro na Bíblia que trata principalmente do amor de homem e mulher e do prazer sexual de uma forma poética e expressiva.
Durante séculos, este livro tem apresentado um grande desafio para intérpretes das Escrituras. Interpretações alegóricas ganharam o favor de estudiosos judeus e cristãos. Uma forte tendência judaica é tratar o livro como simbólico do amor de Deus para com seu povo de Israel. Desde o terceiro século d.C., muitos estudiosos cristãos adotaram uma abordagem parecida, achando no livro uma alegoria profética de Cristo e a igreja. Com certeza, diversos trechos bíblicos empregam a figura do casamento para descrever a relação do Senhor com seu povo, seja Israel no Antigo Testamento (Jeremias 2:1-3; Ezequiel capítulos 16 e 23 e Oseias capítulos 1 a 3) ou a igreja no Novo Testamento (Efésios 5:22-33; Apocalipse 19:7-8). Outras interpretações sugerem uma história de dois homens tentando conquistar o coração da mesma mulher, esta lutando para escolher entre os rivais.
Mas a interpretação mais natural e coerente oferece uma perspectiva importante do plano de Deus para o casamento. Sugiro que leia o livro pensando na noite de núpcias de um rei (Salomão) e sua noiva (uma moça de origens humildes escolhida pelo rei de Israel). Nesta leitura, não deve injetar nada de imoralidade ou indecência, nem o envolvimento posterior de Salomão com tantas outras mulheres. Olhe para este relato como se fosse o início do primeiro casamento e aquele que deveria ter sido o único. Depois de esperar durante o tempo do noivado e passado pela festa do casamento, agora os noivos se encontram a sós. Os dois pensam sobre tudo que passaram para chegar a este momento. Ela foi uma moça simples, uma jardineira protegida pelos irmãos, e ele, um rei rico que percebeu sua extraordinária beleza e a escolheu para ser sua esposa. Mas este livro não se trata de paixão desenfreada. Até aquele momento especial da noite de núpcias, ela foi um jardim fechado, uma fonte selada (Cântico dos Cânticos 4:12). No plano de Deus, o prazer sexual tem um lugar especial e privilegiado no casamento. Qualquer relação sexual antes ou fora do casamento desrespeita este princípio e estraga a beleza desta intimidade (veja Hebreus 13:4).
O sexo não é visto na Bíblia como algo sujo que é permitido ou tolerado no casamento; é uma relação especial, intima e linda protegida pela vontade de Deus no casamento. O jardim, a moça que se preservou para este momento, se torna o jardim do marido. Observe a mudança na linguagem dela: “Levanta-te, vento norte, e vem tu, vento sul; assopra no meu jardim, para que se derramem os seus aromas. Ah! Venha o meu amado para o seu jardim e coma os seus frutos excelentes” (Cântico dos Cânticos 4:16). No próximo versículo, depois de aceitar este convite da sua esposa, o marido fala: “Já entrei no meu jardim, minha irmã, noiva minha; colhi a minha mirra com a especiaria, comi o meu favo com o mel, bebi o meu vinho com o leite” (Cântico dos Cânticos 5:1). Há muito mais neste livro, inclusive dificuldades no casamento e a busca de reconciliação, mas uma das mensagens mais importantes para os nossos dias é uma perspectiva saudável da relação conjugal. Desde o jardim do Éden, Deus ordenou uma relação íntima e prazerosa entre marido e mulher. “Por isso, deixa o homem pai e mãe e se une à sua mulher, tornando-se os dois uma só carne. Ora, um e outro, o homem e sua mulher, estavam nus e não se envergonhavam” (Gênesis 2:24-25). No Novo Testamento, ele ensinou: “O marido conceda à esposa o que lhe é devido, e também, semelhantemente, a esposa, ao seu marido. A mulher não tem poder sobre o seu próprio corpo, e sim o marido; e também, semelhantemente, o marido não tem poder sobre o seu próprio corpo, e sim a mulher” (1 Coríntios 7:3-4). Como disse a esposa de Salomão: “Eu sou do meu amado, e o meu amado é meu” (Cântico dos Cânticos 6:3).
Cântico dos Cânticos nos lembra que o amor sexual é bom e lindo quando protegido no casamento como Deus o criou. Não estraguemos esta bênção de Deus na perversidade e sensualidade que dominam as vidas de muitas pessoas hoje!
(–por Dennis Allan).Que Deus abençoe a todos pastor Antonio Marques

27 de março de 2016

VERSÍCULOS DO DIA


Resultado de imagem para versiculos do dia de hoje
Por que estás ao longe, SENHOR? Por que te escondes nos tempos de angústia?

João 11:32.Que Deus abençoe a todos pastor Antonio Marques

MEDITAÇÃO DO DIA

Resultado de imagem para versiculos do dia de hoje
27 de março Dia 87  

Leituras: Mateus 24:36-44; Romanos 3:21-31; Salmo 77; Provérbios 18:19-24; Deuteronômio 2-3.  

Versículo Especial: O irmão ofendido resiste mais que uma fortaleza; suas contendas são ferrolhos dum castelo” (Provérbios 18:19).  

Pensamento BíblicoO Justo e o Justificador (Romanos 3:21-26). Paulo agora leva sua discussão da culpa a algumas conclusões vitais. ì Todos pecaram. í Deus justifica gratuitamente, pela graça. î A justificação é pelo sangue de Cristo. ï Deus é justo (sentenciando pena de morte pelo pecado - veja Romanos 6:23). ð Ele também é o justificador (pagando a pena com seu próprio Filho). ñ Este sacrifício salva aqueles que respondem com a fé.  

Ação: Dê graças a Deus pela salvação em Jesus Cristo.Que Deus abençoe a todos pastor Antonio Marques

ANDANDO NA VERDADE

Resultado de imagem para bíblia evangélica
Eclesiastes: Onde Encontrar a Satisfação?

O livro de Eclesiastes foi escrito pelo “filho de Davi, rei de Jerusalém” (Eclesiastes 1:1). Sabemos de outros livros bíblicos que o filho de Davi que reinou em Jerusalém foi Salomão (2 Crônicas 1:13), um homem abençoado por Deus com sabedoria sem igual entre seres humanos (1 Reis 4:29-31). Durante seu reinado, Salomão se mostrou extremamente inteligente e competente como administrador, cientista, governante, juiz, engenheiro e filósofo. Sob a liderança deste rei, a nação de Israel chegou ao auge de prosperidade e aos limites maiores de sua história em termos de território controlado.
Um homem tão bem-sucedido e famoso sentiria muita felicidade por seus feitos, ou, pelo menos, imaginamos que sim. Mas o livro deEclesiastes serve de prova da futilidade da busca de alegria e realização satisfatória nesta vida. Salomão procurou em todo lugar, mas não conseguiu achar a felicidade em nenhuma das suas realizações.
“Debaixo do sol”, a expressão que caracteriza a mensagem de Eclesiastes sobre a experiência terrestre, aparece mais de 25 vezes no livro. Alguns exemplos ilustram o pensamento do autor: “Vaidade de vaidades, diz o Pregador; vaidade de vaidades, tudo é vaidade. Que proveito tem o homem de todo o seu trabalho, com que se afadiga debaixo do sol?” (Eclesiastes 1:2-3). “Atentei para todas as obras que se fazem debaixo do sol, e eis que tudo era vaidade e correr atrás do vento” (Eclesiastes 1:14).“Considerei todas as obras que fizeram as minhas mãos . . . e eis que tudo era vaidade e correr atrás do vento, e nenhum proveito havia debaixo do sol” (Eclesiastes 2:11).
Salomão procurou a felicidade no seu trabalho, nas suas grandes obras, no vinho, nas riquezas, na música e nas mulheres, e não a achou (Eclesiastes 2:1-11). Reconheceu e até recomendou que o homem aproveitasse alguns prazeres bons nesta vida, frutos do seu trabalho (Eclesiastes 5:18; 8:15). Também viu a bênção da alegria do casamento e o prazer de compartilhar a vida com a pessoa amada (Eclesiastes 9:9).
Ele viu o valor da sabedoria (Eclesiastes 9:13-18), mas percebeu que a sabedoria “debaixo do sol”, ou seja, o conhecimento que vem somente da experiência humana, também não era satisfatória (Eclesiastes 2:12-17).
Neste livro, ele trata de uma sequência de considerações:
Capítulos 1 a 6 falam da busca frustrada pela alegria nesta vida debaixo do sol.
Capítulos 7 a 10 ainda comentam sobre estas frustrações, mas destacam o valor da sabedoria para livrar o homem das consequências da loucura.
Capítulos 11 e 12 olham para além das experiências debaixo do sol para orientar o leitor a buscar o Criador, aquele que está acima do sol e que dá sentido para a vida do homem.
As conclusões mais importantes de Salomão não se limitavam às experiências debaixo do sol, pois ele percebeu a importância de olhar para cima para achar sentido e satisfação na vida. E, mesmo nisso, o homem encara suas próprias limitações. O objetivo não é compreender Deus, pois nem o homem mais sábio do mundo seria capaz disso: “então, contemplei toda a obra de Deus e vi que o homem não pode compreender a obra que se faz debaixo do sol; por mais que trabalhe o homem para a descobrir, não a entenderá; e, ainda que diga o sábio que a virá a conhecer, nem por isso a poderá achar” (Eclesiastes 8:17). O único objetivo digno da dedicação e do esforço do homem, concluiu Salomão, é temer e obedecer ao Criador: “De tudo o que se tem ouvido, a suma é: Teme a Deus e guarda os seus mandamentos; porque isto é o dever de todo homem” (Eclesiastes 12:13). Tenhamos a sabedoria para chegar à mesma conclusão!
(–por Dennis Allan).Que Deus abençoe a todos pastor Antonio Marques

26 de março de 2016

ANDANDO NA VERDADE

Resultado de imagem para bíblia evangélica
Provérbios: Princípios para Guiar a Vida

Tem dois minutos livres e quer ler alguma coisa proveitosa e prática na Bíblia? Abra o livro de Provérbios! O estudo da palavra de Deus deve incluir todos os livros da Bíblia e hábitos disciplinados, mas há momentos em que procuramos uma mensagem rápida para meditar e aplicar na vida. Nestes momentos, o livro de Provérbios não decepciona.
O principal autor destes provérbios foi Salomão (Provérbios 1:1; 10:1; 25:1), que também escreveu muitos outros provérbios e cânticos que não foram preservados para nós. Sobre Salomão, um homem extremamente inteligente e sábio, o autor de 1 Reis disse:“Deu também Deus a Salomão sabedoria, grandíssimo entendimento e larga inteligência como a areia que está na praia do mar. Era a sabedoria de Salomão maior do que a de todos os do Oriente e do que toda a sabedoria dos egípcios. Era mais sábio do que todos os homens, mais sábio do que Etã, ezraíta, e do que Hemã, Calcol e Darda, filhos de Maol; e correu a sua fama por todas as nações em redor. Compôs três mil provérbios, e foram os seus cânticos mil e cinco. Discorreu sobre todas as plantas, desde o cedro que está no Líbano até ao hissopo que brota do muro; também falou dos animais e das aves, dos répteis e dos peixes. De todos os povos vinha gente a ouvir a sabedoria de Salomão, e também enviados de todos os reis da terra que tinham ouvido da sua sabedoria” (1 Reis 4:29-34).
Alguns dos provérbios foram escritos por autores anônimos ou desconhecidos para nós. Agur (Provérbios 30:1) e Lemuel (Provérbios 31:1) são identificados como homens de Massá (possivelmente descendentes de Ismael, filho de Abraão - veja Gênesis 25:12-14). Outros são atribuídos aos sábios, sem mais detalhes (Provérbios 22:17; 24:23).
O tema fundamental do livro de Provérbios pode ser facilmente compreendido na leitura do capítulo 9. Neste capítulo, a Sabedoria e a Loucura são personificadas como duas mulheres que usam as mesmas palavras para convidar os simples a entrarem nas suas casas. A Sabedoria chama: “Quem é simples, volte-se para aqui” (Provérbios 9:4). Ela continua com uma explicação das vantagens que ela oferece, concluindo com este resumo: “O temor do SENHOR é o princípio da sabedoria, e o conhecimento do Santo é prudência. Porque por mim se multiplicam os teus dias, e anos de vida se te acrescentarão” (Provérbios 9:10-11).
A Loucura usa as mesmas palavras de convite: “Quem é simples, volte-se para aqui” e oferece prazer imediato: “As águas roubadas são doces, e o pão comido às ocultas é agradável” (Provérbios 9:16-17). Mas o convite dela não acrescenta anos à vida! Os simples que aceitam este convite: “não sabem que ali estão os mortos, que os seus convidados estão nas profundezas do inferno” (Provérbios 9:18).
O livro de Provérbios pode ser dividido conforme seus assuntos e autores:
Capítulos 1 a 9 apresentam os apelos da Sabedoria para escolher este caminho bom.
Capítulos 10 a 22 e 25 a 29 contêm provérbios de Salomão sobre diversos assuntos práticos.
Capítulos 22 a 24 contêm instruções dadas pelos sábios, sem identificar estes autores por nome.
Capítulos 30 e 31 relatam os provérbios de Agur e de Lemuel, ambos de Massá. A última parte do capítulo 31 apresenta a descrição das qualidades da mulher virtuosa, um dos trechos mais conhecidos deste livro.
Por mais de 3.000 anos, os provérbios têm servido como meio de instrução, avisando sobre erros e caminhos perigosos e mostrando motivos para optar por comportamentos bons que levam à vida!
(–por Dennis Allan).Que Deus abençoe a todos pastor Antonio Marques

25 de março de 2016

VERSÍCULOS DO DIA


Resultado de imagem para o orgulho precede a queda
A resposta branda desvia o furor, mas a palavra dura suscita a ira.

Efésios 4:26.Que Deus abençoe a todos pastor Antonio Marques
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...